Fotos recolhidas da net

Seguidores

Play Rádio saudade

Web Rádio "Saudade Sertaneja"
Transmitindo em  
De Bauru, Estado de São Paulo, Brasil
Hoje ,   Horário de Brasília:
Música atual:

domingo, 24 de outubro de 2010

Silveira e Silveirinha (1973) ) Xerife Fantasma

Capa
Capa Site
Selo Face A - Sem Editar
Selo Face B - Sem Editar
Contracapa
Crédito: Paulo Lucio/Quelinho
Postagem original do site www.baudolongplaying.com
Nivaldo Pedro da Silveira, o Silveira - Uberaba, MG-1934 – São Paulo, 1999
Agenor Pedro da Silveira, o Silveirinha - Uberaba, MG-1929 - São Paulo, SP-1993
Silveira iniciou sua carreira artística no início dos anos 1950, quando formou dupla com Abílio Barra, o Barrinha. Gravaram o primeiro disco em março de1955 pela Continental. A dupla trabalhou na Rádio Nacional de São Paulo, apresentados pelos compositores Arlindo Pinto e Anacleto Rosas Jr., no programa de Nhô Zé.
A dupla separou-se em 1964, depois de mais de 10 anos de sucessos, deixando gravados cerca de 39 discos 78 rpm, 10 LPs e sete compactos. Nivaldo Pedro da Silveira convidou então seu irmão Agenor para formarem a dupla Silveira e Silveirinha.
Silveira e Barrinha, por outro lado, juntaram novamente suas vozes e o relançamento da dupla se deu num circo na cidade de Dracena-SP, atendendo aos apelos de seus fãs. E Silveira e Barrinha prosseguiram cantando em dupla por mais oito anos, tendo gravado o último LP no ano de 1982, pela gravadora Xororó.
Com o falecimento do Barrinha em 10/11/1984, vítima de doença de Chagas, Silveira prosseguiu sua carreira musical novamente em dupla com seu irmão Silveirinha. Calcula-se que a dupla Silveira e Silveirinha tenha gravado aproximadamente 45 LP's, além de 9 "compactos", ao longo de 30 anos de carreira, intercalados com a volta da dupla com o Barrinha.
Em 1966, Silveira e Silveirinha gravaram “Alma vazia”, de Nicanor Silveira e Silveirinha, “Ciganinha”, de Silveira e Osvaldo Ramos, e “Duas almas”, de Silveira, Silveirinha e Osmar Rézio. Nos anos 1960 a dupla se apresentou na festa da Trindade em Goiás, cantando para quase 150 mil pessoas. A música “Berrante da Madalena”, do radialista Faísca, teve grande repercussão junto ao público.
Outras músicas de destaque foram “Beija-flor das penas verdes”, de Brejão, “Berrante da meia-noite”, de Seresteiro e Claudino Vieira, e “Beira da praia”, de Nicanor Silveira e Silveirinha. A dupla Silveira e Silveirinha gravou aproximadamente 45 LPs e nove compactos em 30 anos de carreira.
Com a morte de Silveirinha, Silveira segue a carreira, formando nova dupla com o irmão Nicanor. Em 1997, a nova dupla gravou o CD “Os irmãos Silveira”. Neste LP destacam-se “Esquecer nunca mais”, de Paraíso, e “Gaivota mensageira”, de Silveira e Joel Garcia. Entre seus LPs estão “Hoje está fazendo um ano” e “Na beira da praia” lançados pela Continental.
Obs.: As informações contidas no texto desta página são originárias principalmente do Livro de Rosa Nepomuceno "Música Caipira - Da Roça Ao Rodeio", do Livro de Ayrton Mugnaini Jr. "Enciclopédia das Músicas Sertanejas", da Revista Viola Caipira, do site Dicinário Cravo Albin de Música Popular Brasileira, do site Boa Musica Ricardinho e Bau do Longplaying.

Nenhum comentário:

Postar um comentário