Fotos recolhidas da net

Seguidores

Play Novo

Web Rádio "SAUDADE SERTANEJA, transmitindo de Bauru/SP, Sob Direção Geral de Tião Camargo

domingo, 21 de agosto de 2011

Zilo e Zalo (78 RPM) Volume m02

zilo_zalo_02

  1. Escuta Minha Canção (José Vitor e Benedito Seviero) (1961)
  2. Mulher Inocente (Benedito Seviero e Zilo) (1961 78 rpm, 1961 e 1968 em LP)
  3. Alma Aventureira (Zalo e Benedito Seviero) (1960)
  4. Corvardia (Luiz de Castro e Bambuí) (1961 e 1978)
  5. Adeus do Mineiro (Teddy Vieira e Piraci) (1961) 2ª gravação – não temos
  6. A Volta do Seresteiro (Zalo e Benedito Seviero) (1961)
  7. Sombra do Passado (Benedito Seviero e Zilo) (1961)
  8. Preço da Traição (Benedito Seviero e Zalo) (1961, 1968)
  9. Meu Fracasso (Faísca e Labareda) (1961 78 rpm, 1961 e 1968 em LP)
  10. Arrependida (Zé do Rancho e M. Christofani) (1961 78 rpm e LP)
  11. Serenata do Adeus (Benedito Seviero e Nascim Filho)(1962) não temos
  12. Flor da Boemia (Zalo e Benedito Seviero) (1962, 1975, LP)
  13. Remorso (Benedito Seviero e Jeca Mineiro) (1962, 1968)
  14. Conselho (Zalo e Tuta) (1962)
  15. Mensagem de Amor (Goiá e Zalo) (1962 e 1971)
  16. Pecado Mortal (Goiá e Benedito Seviero) (1962)

DOWNLOADO (4shared.com)

DOWNLOAD (Mediafire.com)

Créditos: Tião Camargo e Walter Quederoli “Mocotó” Santo André/SP

Biografia e Volume 01

domingo, 14 de agosto de 2011

Cacique e Pajé (1978) Volume 01

capa

  1. Pescador e Catireiro - Cacique e Carreirinho
  2. Não me Fale de Amor - Tião do Carro
  3. Rabicho - Cacique
  4. Tua Decisão - Cacique e Valter O. dos Santos
  5. O Milagre do Batismo - Cacique e Tião do Carro
  6. Trocadilho Sertanejo - Cacique e Antonio C. de Santana
  7. Povo de Goiás - Cacique
  8. Revivendo Mato Grosso - Cacique e Tonico
  9. Ciumento - Tião do Carro e Roberto Nunes
  10. Vida de Caboclo - Zé Carreiro e Pedrão
  11. Rapaz de Gosto - Cacique e Pajé
  12. O Granfino e o Boiadeiro - Tião do Carro

DOWNLOAD

CRÉDITO: Walter Quederoli “Mocotó” Santo André

Rei do Gado e Boiadeiro (Cacique e Pajé)

Cacique e Pajé

  1. Rancho Quarto de Milha - Rei do Gado e Boiadeiro
  2. Minha Palhoça - Rei do Gado e Boiadeiro
  3. Pescador e Catireiro - Cacique e Carreirinho
  4. Vida de Caboclo - Zé Carreiro e Pedrão
  5. Rainha da Flora - Cacique e Francisco do Carmo
  6. Índia Mulata - José de Souza e Gonçalo Roque
  7. Brasil pra Frente - Rei do Gado e Santo Marasatti
  8. Sou Igual um Passarinho - Nonô Basílio
  9. Pedaço de Minha Vida - Raul Torres
  10. A Menina e a sucuri - Cacique e Martins Neto
  11. Princesa Encantada - Cacique e Antonio C. de Santana
  12. Lição de Violeiro - Rei do Gado, Galho Velho e Rocha

DOWNLOAD

Filhos de agricultores, Antônio Borges de Alvarenga, o Cacique, filho de Francisco Borges de Alvarenga e Joana Geraldina de Oliveira, nasceu em numa tribo às margens do Rio Vermelho, no município de Rondonópolis-MT, em 25 de março de 1935, e Roque Pereira Paiva, o Pajé, filho de Antônio Pereira Paiva e Cecília Verdoot, nasceu na mesma tribo em 22 de agosto de 1936 e faleceu em São Paulo-SP em 05 de março de 1994.
Cacique e Pajé nasceram na tribo às margens do Rio Vermelho, no município de Rondonópolis-MT, mas devido a uma epidemia de febre amarela, foram entregues pelo padre a dois boiadeiros que passavam por aquela região. Eles foram na comitiva levando a boiada e trouxeram os dois. Cacique foi adotado por Francisco Borges de Alvarenga e o Pajé por Antônio Verduti Paiva. O Pajé recebeu o nome de Roque Pereira Paiva. Cacique foi registrado em Monte Aprazível-SP. e Pajé em Bofete-SP, e regulavam a idade, eram da mesma tribo mas não eram irmãos. Lá tinha os Bororó e os Caiapó.

Antônio e Roque desenvolveram atividades artísticas e utilizaram diversos outros pseudônimos antes de formar a dupla Cacique e Pajé:
Antônio adotou de início o nome artístico de Peixoto e fez com João Rodrigues, a dupla "Peixoto e Peixinho". Gravaram na gravadora Centenário um "compacto duplo" no qual continha a música "Violeiro Franco" (Antônio Borges e Roque Pereira Paiva). Em seguida, adotou o nome de Rei do Gado e formou dupla com Peão Campeiro. A dupla "Peão Campeiro e Rei do Gado" lançou um LP em 1970 pela gravadora Califórnia, destacando-se entre outras a música "Arrependida" (Garcia e Zé Matão).

Em 1971, Antônio Borges gravou com João Antônio um LP pela Fermata. Pouco tempo depois, mudou seu nome artístico para Ferreirinha e fez dupla com João Ferreira: a dupla "João Ferreira e Ferreirinha".
Em 1977, reassumiu o nome artístico de Rei do Gado, juntou-se finalmente a Roque Pereira, que adotou o nome de Boiadeiro. E, com o pseudônimo de "Índios Caiapó", gravaram um LP pela Sonora. Era a dupla "Rei do Gado e Boiadeiro - Os Índios Caiapó".

E foi no ano de 1978, que nasceu a dupla chamada "Cacique e Pajé, ocasião na qual gravaram um LP pela Chantecler, com destaque para "Pescador e Catireiro" (Cacique e Carreirinho). No mesmo ano, participaram juntamente com Sérgio Reis e a Orquestra de Violeiros de Osasco-SP do histórico show promovido por Tonico e Tinoco no Teatro Municipal de São Paulo-SP, o qual também deu origem ao livro "Da Beira da Tuia ao Teatro Municipal". Aliás, foi Tonico e Tinoco que, tendo gostado da dupla, sugeriram o nome.

Cacique ficou sabendo que ele era realmente filho do cacique da Tribo Caiapó, enquanto que seu avô paterno havia sido um pajé (curandeiro) na mesma tribo.
Em 1979, fizeram sucesso com "Caçando e Pescando" (Cacique e Tangará) e "Deixa o Índio em Paz" (Cacique e Capitão Furtado). E, na década de 1980, lançaram mais 5 LPs, destacando-se, dentre outras, "Viola no Samba" (Rei do Mar e Cacique), "Poemas das Cordas" (Paulo Gaúcho e Zé Raimundo), "Cadê o Gato" (Cacique e Pajé) e "As Flores e os Animais" (Paraíso e José Fortuna).
Em 1983, Cacique e Pajé participaram do LP de Taiguara "Canções de Amor e Liberdade" interpretando com ele "Voz do Leste" (Taiguara). Disco esse, por sinal, extremamente emocionante, que foi o primeiro que Taiguara gravou após ter retornado do exílio no Uruguai.
Em 1985, quando do lançamento do 8º LP, com destaque para "Peão Sabido" (Cacique e Nhô Véio), Pajé foi vítima de um derrame que o obrigou a se afastar da dupla.

Seguiu-se um período de 3 anos no qual as apresentações continuavam, no entanto, Pajé apenas "dublava" e mal conseguia cumprimentar o público. Cacique também era ajudado pelo Rocha da dupla "Rocha e Umuarama", pelo Zé Matão e também pelo Odilon (o mesmo que já formou dupla com Tião do Carro), nas apresentações em que o Pajé não tinha condições de se apresentar.
Em 1993, Cacique também passou mal, com problemas cardíacos e necessitou de cirurgia. Seguiu-se um periódo de extremas dificuldades, em que ambos os integrantes da dupla foram ajudados pelos irmãos de sangue (que integravam a dupla "Caiuê e Caiapó"), os quais chegaram a "interpretar" Cacique e Pajé, já que Cacique chegou a praticamente perder a voz.

Além de "Caiuê e Caiapó", Odilon e Zé Matão também "dublavam" Cacique e Pajé nas apresentações da dupla. E, nesse período, diversos "Pajés" também cantaram ao lado de Cacique, dentre eles, Luiz Mariano, Zé Nobre e Pedrinho Tamim, até que Roque Pereira Paiva, o Pajezinho, como é carinhosamente chamado pelo Cacique, veio a falecer tragicamente, no ano de 1994, após ter perdido a voz, sofrido dois derrames, além de ter tido braço e perna direitos amputados. "Pajézinho" deixou a esposa com oito filhos.

Cacique, desiludido, tinha a informação médica de que não mais voltaria a cantar. Nessa ocasião, Cachoêra (José Pereira de Souza), que era músico do estúdio, também deu uma força e cantou algum tempo no lugar do Pajé, tendo inclusive gravado dois discos.
Cachoêra substituiu o Pajé na dupla, que prosseguiu com o mesmo nome e lançou novo LP pelo selo Disco de Ouro, com destaque para "Barretos Não Faz Feio" (Cacique, Lourival dos Santos e João Macedo).

De acordo com Cacique, o Pajezinho é que arranjava os 'Pajé' pra ele. Ele ouvia e indicava. Mas, depois que ele morreu, ele ficou com o Cachoêra. O "Pajé atual" ele já conhecia, ele é meio primo seu.
Geraldo Aparecido da Silva, filho da índia Joana Dias Barbosa, nasceu em Itapuí-SP, às margens do Rio Tietê, no dia 29 de julho de 1943. O esposo de Joana era boaideiro e também catireiro e muito bom violeiro, de acordo com Geraldo, que passou a ser o Pajé a partir do ano de 1997.
Geraldo já havia feito dupla com João Goiano e integrou também o "Trio Andorinha". E foi numa apresentação desse trio que nasceu a nova dupla Cacique e Pajé, como a conhecemos nos dias atuais. Após Geraldo Aparecido ter cantado junto com Antônio Borges, diversas pessoas presentes abraçaram os dois e disseram que era "... a melhor dupla depois do primeiro Pajé..." Dentre os presentes, estavam Pedro Jacob e também o compositor Aleixinho.


Antônio Borges e Geraldo Aparecido, a nova dupla "Cacique e Pajé" gravaram então um CD contendo somente Modas de Viola. E foram mais 6 CD's e diversos shows que vieram depois.
Antônio Borges e Geraldo Aparecido mantém-se em plena atividade com o nome "Cacique e Pajé".

Texto: Sandra Cristina Peripato

Fonte: www.boamusicaricardinho.com

domingo, 7 de agosto de 2011

Duo Glacial – Estoria de Um Prego

Estória de Um Prego (João Pacífico) Apresentação de Duo Glacial na Chácara do Germanito em 06/08/2011

Tião Camargo e Jotha Camargo – atrás João Ferreira – participação na abertura do show do Duo Glacial

Industrial e Fazendeiro (1980) A Corrida do Ouro

Industrial_e_Fazendeiro_capa2  

  1. Sua Traição (Senador - Correto)

  2. A Corrida Do Ouro (Tomaz - Benedito Seviero)

  3. Meu Fracasso (Walter Netto - Ataide Faussetti)

  4. Seu Desejo (Moniz - Fazendeiro)

  5. Lembranças (Fazendeiro - Milton Nellis)

  6. O Vagalume (Industrial - Valdemar Reis)

  7. Matogrossense (Zacarias Mourão - Flor Da Serra)

  8. Adelita (Jack Harris - Kirk Patrick - Carlos Américo)

  9. Na Primeira Noite (Marciano - Darci Rossi)

  10. Menina Moça (Moniz - Industrial)

  11. Você é Mais Forte Que Eu (Marciano - Darci Rossi)

  12. Deusa Branca (Tomaz - Benedito Seviero)

  13. Roupas De Cama (Marciano - Darci Rossi)

DOWNLOAD

CRÉDITO: Walter Quederoli “Mocotó” Santo André/SP

Industrial e Fazendeiro (1979) Caminhos do Mundo

Industrial e Fazendeiro_capa  Industrial e Fazendeiro_verso

  1. Caminhos Do Mundo (Compadre Lima e Industrial)
  2. Criado  Mudo (Duduca)
  3. Boêmio Vagabundo (Antonio Mira e Fazendeiro)
  4. Nossos Filhos NãoTem Culpa (Prado Júnior e Industrial)
  5. Pra Que Chorar (Meu Conselho) (Antonio Mira e Fazendeiro)
  6. Deixaste A Saudade (Moniz e Palmar)
  7. Ébrio (Vicente Celestino)
  8. O Desquite (Zé da Praia e Praense)
  9. Saideira (Prado Júnior)
  10. Jornada Da Vida (Industrial, Benedito Peaconi e Antonio Mira)
  11. Amargo Despeito (Praense)
  12. Convivência (Fazendeiro e Romualdo Dias)

DOWNLOAD

CRÉDITO: Walter Quederoli “Mocotó” Santo André/SP

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Zilo e Zalo (1961) As Vozes Encantadoras do Sertão

zilo-As-Vozes-Encatadoras-d

  1. O que vale o orgulho - Zalo/Benedito seviero
  2. Cavaleiro - Liu/Carreirinho
  3. Meu fracasso - Faísca/Labareda
  4. Três companheiros - José Batista
  5. Lamento - Zacarias Mourão/Goiá
  6. Preço da traição - Zalo/Benedito seviero
  7. Lamento da saudade - Zacarias Mourão/Goiá
  8. Arrependida Z- é do Rancho/M. Cristófani
  9. Mulher inocente - Zilo/Benedito Seviero
  10. Recordação - Bolinha
  11. Última serenata - Zilo/Claudionor Branquinho
  12. Velho sultão - Zalo/Bolinha

DOWNLOAD

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Aulas grátis de Violão e Viola Caipira

Banner verticalO Clube da Viola de Bauru, através do Projeto “Acorde de Viola”, apoiado pelo Projeto ”Ponto de Cultura” do Ministério da Cultura e da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Bauru, está oferecendo, gratuitamente, aulas de Violão e Viola Caipira. São 10 vagas para cada modalidade, com aulas semanais para cursos com durações de 3 anos, para pessoas a partir de 12 anos de idade. As inscrições deverão ser feitas, neste sábado, das 09h00 às 12h00, no CSU, na Rua Rui Barbosa, 17-51, Bela Vista. Informações através do telefone (14) 9748-6106, com Tião Camargo, ou pelo email. Slf.camargo@gmail.com, com Tião Camargo.

Índio Cachoeira e Cuitelinho (2006) Convite de Violeiro

capa

  1. A Igreja e a Flora (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  2. Artista Caboclo (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  3. Convite de Violeiro (Índio Cachoeira e Cuitelinho)

  4. Dois Campeões (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  5. Ecologia Brasileira (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  6. Estrela do Oriente (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  7. Filho de Tupã (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  8. Herença de Violeiro (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  9. Mensageiro do Amor (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  10. Mercador dos Pássaros (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  11. O Cultivo da Maldade (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  12. O Mendingo e o Mordomo (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  13. O Poeta Jeremias (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  14. Violeiro de Fibra (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

  15. Vizinho Enjoado (Índio Cachoeira-Cuitelinho)

DOWNLOAD

Índio Cachoeira (José Pereira de Souza -27/06/1952 -Junqueirópolis -SP, divisa com Mato Grosso) teve contato com a viola aos 8 anos de idade, ouvindo um velho violeiro da região; sua mãe não gostava que ele frequentasse as rodas de viola e folias de reis, ele fugia de casa para ouvir de perto os ponteados. Tornou-se violeiro e também construtor de violas.

Aos 17 anos, começou sua vida profissional tocando nas rádios da região, já com o nome de Índio Cachoeira. Formou sua primeira dupla com Tião do Gado (posteriormente, Carreiro, da dupla Carrreiro e Carreirrinho).

Em 1995, tornou-se o Pajé, da dupla Cacique e Pajé, na qual atuou por 5 anos e gravou 5 CDs. Virtuoso da viola, seu toque, elogiado por Inezita Barroso, apresenta influência da cultura musical da fronteira entre Mato Grosso e Minas Gerais. Gravou diversas vezes em estúdios, acompanhando vários nomes da música raiz, entre os quais Rodrigo Mattos, (que também foi seu aluno, entre outros), Ronaldo Viola e inúmeras duplas, a ponto de, de tantas sessões, ele nem se recordar de quantos discos gravou.

Seguindo a tradição dos velhos violeiros, fabrica sua própria viola, que é personalizada e outros instrumentos, como violões cavaquinhos, harpas e um instrumento denominado por ele como Canaã, que é uma pequena viola de 15 cordas. Cuitelinho (Osvaldo Viotto - 13/11/1942 - Duartina/SP) também violeiro experiente, formou sua primeira dupla com Sabiá da Serra, em 1970.

Cantou também, por 25 anos com Tião do Norte, com quem gravou um LP em 1980 e com quem se apresentou no primeiro programa "Viola minha viola" em 1980, na época, dirigido por Moraes Sarmento.

Fez dupla também com Di Oriente, entre 1997 e 2001. Desde 1991, Cuitelinho passou a comandar um programa de rádio, divulgando a música de raiz em seus programas. A dupla Índio Cachoeira e Cuitelinho foi formada em 2001, quando Cuitelinho levou um violão para Índio Cachoeira fazer a manutenção. Os dois já se conheciam desde 1977, pois trabalhavam também como caminhoneiros.

Mas foi nesse encontro que surgiu grande e imediata identificação de ambas as partes, motivando a formação da dupla. Em 2006, lançaram, pelo selo Brasil Festeiro, o CD "Convite de violeiro", cuja faixa título traz a moda de viola de autoria da dupla. O CD, produzido por Ricardo Vignini, não teve participação de nenhum outro músico. O repertório é todo assinado pela dupla que, cantou, tocou viola, violão e percussão.

http://www.indiocachoeira.com.br/

Fonte: Dicionário Cravo Albin

Industrial e Fazendeiro (1978) A Vida é Assim

Industrial_e_Fazendeiro_capaIndustrial e Fazendeiro (1978) A Vida é Assim

  1. A Vida é Assim (Industrial - Fazendeiro)
  2. Cada Um Vale O Que Tem (Duduca - Milionário)
  3. Falta Do Meu Bem (Fazendeiro - Antonio Mira)
  4. Assim Foi O Nosso Amor (Fazendeiro - Antonio Mira)
  5. Aqui é Tudo Solidão (Industrial - Fazendeiro)
  6. Hoje Vou Beber (Pass Port) (Industrial - Fazendeiro)
  7. De Longe Se Ama Também (Waldemar De Freitas Assunção - Industrial)
  8. Mulher Sem Juramento (Industrial - Fazendeiro)
  9. Mera Ilusão (Industrial - Fazendeiro)
  10. O Silêncio Lembra Você (Compadre Lima)
  11. Carícias De Amor (Casa Vazia) (Waldemar De Freitas Assunção - Industrial)
  12. Siga Seu Caminho (Fazendeiro - Antonio Mira)

DOWNLOAD

Créditos: Walter (Mocotó) - Santo André/SP

Industrial e Fazendeiro (1978, Volume 01) Vitória do Amor

Industrial e Fazendeiro (Volume 01) 1978

  1. Desprezada (Curió e Canarinho)
  2. Divisão de Mato Grosso (Romualdo Dias)
  3. É Tarde Demais (Paulo Sérgio F. Silva)
  4. Existe Alguém Para Amar (Paulo Sérgio F. Silva)
  5. Fazenda 3 Irmãos (Romualdo Dias e Paulo Sérgio F. Silva)
  6. Fracasso de Boiadeiro (Romualdo Dias)
  7. Longe do Meu Bem (Antonio Silva e Paulo Sérgio F. Silva)
  8. Morrendo de Saudade (Maranhão)
  9. Mulher Preferida (Paulo Sérgio F. Silva)
  10. Noite Bela (Paulo Sérgio F. Silva)
  11. Pensando Em Ti (Paulo Sérgio F. Silva)
  12. Vitória do Amor (Paulo Sérgio F. Silva)

DOWNLOAD

Monterrey e Monteirinho (1990) Artimanhas

frente

verso

  1. Art Manhas (Joel Marques - Maracaí)
  2. Intrigas (Carlos Cézar - Virgínia Kheer) 
  3. Enfeite Na Estrada (Carlos Randall)
  4. O Anjo e a Fera (José Felipe - Paulo Freitas)
  5. Brinquedo De Amor (Delamônica)
  6. Amor Loucura (José Felipe - Paulo Freitas)
  7. Vou Dormir Com A Saudade (Paulo Gaúcho - José Raimundo)
  8. Meus Dias De Rei (Carrerito - Givaldo Lima)
  9. Sonho Azul (Maracaí - Maria Lúcia)
  10. Cara De Boi (Carlos Randall - Chico Lopes)
  11. Quando O Coração Se Apaixona (Joel Marques - Maracaí)
  12. Rincão Querido (Carrerito - Radua)

DOWNLOAD

Crédito: Walter Quederoli “Mocotó” Santo André/SP

Monterrey e Monteirinho (1980) Pingo de Gente

Monterrey e Monterinho_Pingo de gente_capa

  1. Anjo Caido (José Raimundo e Gaucho)
  2. Terceira Carta (Waldemar dos Reis e Monterrey)
  3. Prá Que Saudade (Nono Basilio)
  4. Herança De Um Homem (Monterinho e Gaucho)
  5. Só Você Não Vê (Carlos Randal e Luiz Berto)
  6. Borboleta (Colega e José Raimundo)
  7. Pingo de Gente (Dr. Danubio do Prado e Lazaro dos Santos)
  8. Fechadura Do Coração (Colega)
  9. Ninguém É De Ninguém (José Rico)
  10. Confissão (Zé do Morro e Boi do Rock)
  11. Triste Boiada (Monterinho e Clécio Ribeiro)
  12. Fim De Estrada (Carlos Randal e Luiz Berto)

DOWNLOAD (Crédito Walter Quesderoli “Mocotó” Santo André/SP

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Criolo e Seresteiro (1979) Gotas de Orvalho

capaverso

  1. Taça Vazia (Criolo - Correto)
  2. Brincando Com A Rosa (Criolo - Nhô Bernardino)
  3. Beijinho Da Nega (Criolo - Zé Rasteiro)
  4. Onda Malvada (Serrinha - Criolo - Seresteiro)
  5. Prenda Gaúcha (Abad Ferreira)
  6. Nove Anos De Amor (Vitalina Lemes - Zé Picuá)
  7. Não Me Convém (Criolo - Germano Dancger)
  8. Carro Velho (Criolo - Letinho - Pedro Sabino Sobrinho) (1º Festival Da Viola Em S. Paulo, 1970)
  9. Gota De Orvalho (Marrequinho)
  10. Eu Te Darei Um Carro Novo (Seresteiro - José Moura)
  11. Roxinha (Seresteiro - Coronel Matias)
  12. Tempo Perdido (Belo Chagas - Osmar Silva)

DOWNLOAD

Créditos: Walter (Mocotó) Santo André/SP

João Mulato e Douradinho (1989) Primeira Dama

João Mulato e Douradinho - Primeira DamaJoão Mulato e Douradinho - Primeira Dama - Contra Capa João Mulato e Douradinho (1989) Primeira Dama

  1. Primeira Dama (João Mulato - Donizete)
  2. Nova Primavera (Donizete - João Mulato)
  3. Amor Que Não Esqueci (João Mulato - Boracéia)
  4. Escondendo Minha Mágoa (Dino Franco)
  5. Nove Dias De Carinho (Katia Mara - João Mulato - Benedito Seviero)
  6. Cerveja Quente (Jesus Belmiro - João Mulato)
  7. O Que Vou Dizer Agora (João Mulato - Jesus Belmiro - Claudio Balestro)
  8. Flor Taiaçuense (Jesus Belmiro - João Mulato)
  9. Contrato Vencido (João Mulato - Sebastião Victor - Chicão Pereira)
  10. Rosa Branca Perfumada (João Mulato - Jesus Belmiro)
  11. Os Sinais Do Fim Do Mundo (Tião Fonseca - João Mulato)
  12. Meus Desenganos (Manoelito Nunes - Maracaí)

DOWNLOAD

CRÉDITO: Walter Quederoli “Mocotó” Santo André/SP