Fotos recolhidas da net

Seguidores

Play Novo

Web Rádio "SAUDADE SERTANEJA, transmitindo de Bauru/SP, Sob Direção Geral de Tião Camargo

quinta-feira, 31 de março de 2011

Filhos do Manduzinho

Por essas descobertas já vale a pena o blog “Saudade Sertaneja”. Descobrir por onde andam nossos heróis sertanejos que fizeram a História da verdadeira Música Sertaneja, assim como seus familiares, faz parte dos objetivos do nosso blog. Através de um comentário postado por Elias, filho do Euclides Leite, o Manduzinho da dupla Mineiro Manduzinho, achamos essa jóia no Youtube: os “Filhos do Manduzinho” cantando juntos. Aliás, belíssimas vozes; deveriam levar a idéia avante. Que tal “Mandu e Manduzinho Filho”? Parabéns!

Abaixo, a gravação de Rosa Traiçoeira, de Lauripe Pedroso e Teddy Vieira, gravada por Mineiro e Manduzinho, a mesma interpretada pelos filhos do Manduzinho no vídeo acima.

Veja AQUI a biografia de Mineiro e Manduzinho no blog Saudade Sertaneja.

domingo, 27 de março de 2011

Irmãos Franco – Craveiro e Cravinho (78 rpm)

Sebastião Franco, o Craveiro - Pederneiras, SP – 1931; João Franco, o Cravinho - Pederneiras, SP - 1939
Filhos do violeiro Josué Franco. Quando eram crianças cantavam com o pai em festas nas fazendas próximas à cidade natal. Em fins dos anos 40, resolveram fazer a dupla com os nomes de Craveiro e Cravinho. Em 1958, ingressaram na rádio Difusora de Piracicaba na qual atuaram por quase 20 anos.

Foram ouvidos pelo produtor Teddy Vieira que os levou para São Paulo. Em 1962, gravaram o primeiro disco pela Sertanejo interpretando a moda de viola "Milagre do retrato", de Sulino e Paulo Calandro, e a cana-verde "Pelé dos pobres", de Sulino, Moacir dos Santos e Fernandes. Em 1963 gravaram o cateretê "Ministro de Deus", de Fernandes e Carreirinho, e o xote "Gaúcho guapo", de Carreirinho e Zé Carreiro. No mesmo ano gravaram a moda de viola "Ladrão de estrada", de Teddy Vieira, e o corrido "Recordação", de Cravinho e Jaime Pereira.

Em 1964 gravaram o pagode "Sou igual", de Sulino e Moacyr dos Santos, e o rasqueado campeiro "Peito de aço", de Teddy Vieira e Cravinho. Em 1967, gravaram o primeiro LP, "Rei da festa", que trazia assinatura de Tonico e Tinoco na contra-capa, e que se tornaram padrinhos da dupla. Realizaram diversas gravações ao longo dos anos 1960 e 1970, alcançando sucesso com as  músicas, "Ponta de faca", de Nhô Serra e Cravinho, "Mata deserta", de Craveiro e Cravinho, "Rei da festa" de José Franco e Cravinho, "Casa de Mané Pedro", de Piraci, "A força da inocência", de Dino Franco e Osvaldo de Andrade, e "Meus quinze anos", de Cravinho e Zezito, entre outras. Apresentaram-se com frequência nas Rádios Record e Bandeirantes.

Em 1999, após 12 anos sem gravar, lançaram pela Continental seu primeiro CD, com produção de Paraíso e Mário Campanha, tendo como destaque as composições "Franguinho na panela" e "Cadeira de balanço". No mesmo período comandavam o programa de rádio "Domingo com a viola", na Educadora AM de Piracicaba.

Em 2003, tiveram participação especial na música "Tudo é beleza", de Lourival dos Santos e Tião Carreio, no álbum "Meu Reino encantado II", de Daniel, do selo Warner Music Brasil, produzido por Daniel e Manoel Nenzino Pinto.

Fonte: Dicionário Cravo Albin.

O Dionário Cravo Albin, começa contando a história da dupla a partir de 1962, quando fizeram a primeira gravação com o de Craveiro e Cravinho, mas, na verdade, já haviam gravados quatro músicas com o nome de “Irmãos Franco”. São, exatamente, as quatro primeiras deste álbum.

Tião Camargo

  1. Ponta de Faca (Nhô Serra e Sebastião Franco ‘’Craveiro’’) - Irmãos Franco (1960)
  2. Mata Deserta (Craveiro e Cravinho) - Irmãos Franco (1960)
  3. Flor do Lodo (Craveiro e Zé Morales) - Irmãos Franco (1961)
  4. Juquita e Júlia (Craveiro e Cravinho) - Irmãos Franco (1961)
  5. Milagre do Retrato (Sulino e Paulo Calandro) - Craveiro e Cravinho (1962)
  6. Pelé dos Pobres (Sulino e Moacyr dos Santos) - Craveiro e Cravinho (1962)
  7. Ministro de Deus (Carreirinho e Fernandes) - Craveiro e Cravinho (1963)
  8. Gaúcho Guapo (Zé Carreiro e Carreirinho) - Craveiro e Cravinho (1963)
  9. Ladrão de Estrada ''Tenente Mineirinho'' (Teddy Vieira) - Craveiro e Cravinho
  10. Recordação (Craveiro e Jaime Pereira) - Craveiro e Cravinho (1963)
  11. Sou Igual (Sulino e Moacyr dos Santos) - Craveiro e Cravinho (1964)
  12. Peito de Aço (Craveiro e Teddy Vieira) - Craveiro e Cravinho (1964)
  13. O Cavalo e a Lambreta (Arlindo Rosa, Teddy Vieira e Craveiro) - Craveiro e Cravinho (1965)
  14. As Flores (Tonico, Tinoco e Milton José) - Craveiro e Cravinho (1965)

DOWNLOAD

quinta-feira, 24 de março de 2011

Desabafo Sertanejo

No Orkut, na Comunidade Música Capira, de autoria de Leonardo Baresi da Cidade de Marília, encontra-se postada a letra da música “Desabafo Sertanejo” como sendo de autoria do criador da comunidade. Trata-se de uma comunidade até interessante, pois o autor defende de maneira radical nossa Cultura Caipira e abomina tudo que diz respeito ao estrangeirismo que introduziram na Cultura Sertaneja, principalmente os cawboys.

Mas, talvez, o Senhor Leonardo tenha cometido um equívoco quanto a autoria de Desabafo Sertanejo, pois trata-se de uma letra de minha autoria gravada por Wilson e Mineirinho no CD da 14ª Violeira Rose Abrão, da Festa do peão de Barretos, quando foi 2ª colocada em 1997, conforme pode ser comprovada na postagem aqui do blog Saudade Sertaneja. A melodia da música é de autoria do Zé Goiano.

Tião Camargo

[digitalizar0003.jpg]

  1. Ponte de Safena (José Calixto Rodrigues) - Gedeão da Viola e Sidney
  2. Desabafo Sertanejo (Tião Camargo e Zé Goiano) - Wilson e Mineirinho
  3. A Última Boiada (Aguinaldo Narciso de Lima) - Solito e João da Serra
  4. Viola e Saudade (Ataíde Gil e Campos Sales) - Sales, Suleiman e Santarelli
  5. Mudou Prá Melhor (Alceu Bigato) - Irmãos Moreno
  6. Rodeio Sem Fronteiras (Edmundo José de Lima) - Violeiros da Amazônia
  7. A Volta do Menino da Porteira (Joaquim Luiz de Oliveira) - Cidão Carreteiro e Joãozinho
  8. A Grande Festa (José Cláudio de Souza) - Cláudio e Claudinho
  9. Pouso de Boiadeiro (Devair Pena da Silva) - Zé Norato e Jamair
  10. Recordando Barretos (Aparecido de Souza) - Carlos Souza e Carreteiro

Em ordem de classificação

CRÉDITO: Tião Camargo

DOWNLOAD

segunda-feira, 21 de março de 2011

Só queremos ser lembrados!

Mensagem do Compositor BENEDITO MIGUEL TONOLI

Boa tarde, meu grande amigo!  Apesar de nao te conhecer pessoalmente .....

Meu nome e Benedito Miguel Tonoli, mais conhecido no meio sertanejo como Miguel Tonoli. Fiquei muito contente ao ver a sua pagina na internet quando  voce  se refere  ao disco do Zé do Cedro e Tião do Pinho e citou uma musica de minha composiçao CARROÇAO VERDADE. Comfesso que para um  simples compositor como eu é um motivo de orgulho e felicidade ser comentado por uma pessoa do seu escalao. Obrigado sr.TIAO CAMARGO.

Vejam, só: enquanto alguns, interessados apenas em dinheiros, pedem para retirarmos do blog músicas e nomes de artistas da família, de obras musicais de 50 anos ou mais, outros, como o grande e humilde (humildade, uma das maiores virtudes do ser humano), Miguel Tonoli vem a público agradecer porque, merecidamente, falamos de sua música CARROÇÃO DA VERDADE, aqui em nosso blog.

Miguel, nem precisaria agradecer; fizemos o que achamos como dever. Você merece e nós precisamos muito de você para que possamos preservar nossa “VERDADEIRA MÚSICA SERTANEJA”. Um grande abraço! Gostaria que me enviasse sua biografia com fotos para postarmos aqui no blog.

Neste mesmo CD de Zé do Cedro e Tião do Pinho, temos outra grande composição do Miguel “PEDAÇO DE MINHA TERRA”.

Este é o objetivo principal deste nosso trabalho: divulgar aqueles que construiram e continuam construindo nossa HISTÓRIA, nossa CULTURA, etc., como você meu amigo Miguel Tonoli.

Abaixo, os play das músicas CARROÇÃO DA VERDADE e PEDAÇO DE MINHA TERRA do Miguel Tonoli. Para ouvi-las, é preciso desligar o play da Rádio do Clube da Viola de Bauru, clicando em ESC.



Carroção da Verdade



Pedaço de Minha Terra

Gente, por favor, não poste álbum na internet sem citar os compositores… Sem eles não existiria música!

Tião Camargo

Silveira e Silveirinha (Berrante de Ouro Fino)

100_0389  100_0390

Este álbum aparece em diversos sites como sendo o primeiro LP de Silveira e Silveirinha, em outros aparece com dada de 1980 e 1982. Alguma coisas não conferem, por isso gera dúvidas. Silveira e Silveirinha fizeram as primeiras gravações no de 1966, assim, este álbum, ou é de 1966, ou não é o primeiro gravado pela dupla.

Com a palavra, Nossos Colaboradores!

Abaixo, segue o LINK para baixar as capas de todos os LPs e CDs de Silveira e Silveirinha, gentileza do nosso Amigo e Colaborador MÁRCIO ALMEIDA. Obrigado, Márcio!

  1. Berrante De Ouro Fino (Silveira - Zé Moraes)
  2. Doces Beijos (Silveira)
  3. Percorrendo Os 21 Estados (Silveira)
  4. Acabrunhado (Silveirinha)
  5. Mulher Perdida (Silveira)
  6. Lembrança Da Ingratidão (Silveira - Silveirinha - Zé Vieira)
  7. Cantinho De Goiás (Silveira - Jesus Belmiro)
  8. Adeus, Minas Gerais (Silveira)
  9. Esfarrapada (Silveirinha)
  10. Não Tive Glória (Silveirinha)
  11. Fim Do Mundo (Silveira)
  12. Caprichosa (Silveirinha)

*Faixas 1 e 7: Participação Especial de Sildete Silveira (Filha Do Silveira)

Baixe No MediaFire
Baixe No RapidShare
Baixe No MegaUpload
Baixe No Deposit Files
Baixe No Hotfile
Baixe No zShare

Postagem do blog cenporcentocaipira.blogspot.com

Link para baixar AQUI as capas de Silveira e Silveirinha – Gentileza do nosso colaborar MÁRCIO ALMEIDA

BIOGRAFIA (Silveira e Barrinha, Silveira e Silveirinha)

Mensagem “Os Caipiras”

Sinto orgulho de ser caipira. Porque os caipiras são um tipo de gente que tem mais união e não tem egoísmo. A prova tá aí, o Tião Camargo dividindo seus discos, recentemente outro colega seguidor do saudade sertaneja dividiu as capas dos discos de Silveira e Silveirinha. Eu sou daqui de Curitiba e conheço dois radialistas que também tem programa de música sertaneja raíz. São o Maikel Monteiro e o Gabriel Montilha. Eu baixei os dois discos do Eli Silva e Degleir, agora tenho todos os discos gravados pelo saudoso Eli Silva. Gostaria demais que você desse esse presente de caipira pra caipira. Um abraço, felicidades, sucesso e até breve.

Waldomiro Silva dos Santos  

O termo caipira (do tupi Ka'apir ou Kaa - pira, que significa "cortador de mato"), é o nome que os indígenas guaianás do interior do estado de São Paulo, no Brasil, deram aos colonizadores brancos, caboclos, mulatos e negros.

É também uma designação genérica dada, no país, aos habitantes das regiões situadas principalmente no interior do sudeste e centro-oeste do país. Entende-se por "interior", todos os municípios que não pertencem às grandes regiões metropolitanas nem ao litoral onde existe o caiçara. O termo caipira teve sua origem e costuma ser utilizado com mais frequência no estado de São Paulo. Seu congênere em Minas Gerais é capiau (palavra que também significa cortador de mato), na região Nordeste, matuto, e no Sul, colono.

Tião Camargo

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Caipira

terça-feira, 8 de março de 2011

Comunicado

Devido aos emails abaixo, enviados pelo Toledo, filho do Sílvio Toledo, retiramos do álbum Saudade Sertaneja Volume 20, a música “Caboclo Soldado da Terra”, da qual o Sílvio Toledo é co-autor. Em seu lugar colocamos a música “Luz do Meu Caminho”, também com o Duo Estrela Dalva.

Lamentamos, pois nosso objetivo é, simplesmente, preservar a memória dos autores/compositores e intérpretes da verdadeira Música Sertaneja. Assim, deixaremos também de tocar em qualquer lugar, qualquer música de autoria de Sílvio Toledo, pois, conforme os emails de seu filho, ninguém está autorizado a divulgar qualquer obra de seu pai.

“Seja feita a vossa vontade, pois seu pai jamais será lembrado em meus programas sertanejos”.

ABAIXO, OS EMAILS ENVIADOS PELO FILHO DE SÍLVIO TOLEDO:

Prezado senhor quero que em diga por que motivo o senhor divulgou obra de meu pai, quero que me de as fontes pois ja tenho advogado especializado em direitos autorais, e quero as fontes pois o senhor divulgou o nome de meu pai silvio de toledo com a obra caboclo, coldado da terra, preciso de informações, pois estamos tentendo receber os direitos autorais desde 1949 de meui pai foram muitos lp de poesisa e musicas sertanejas, e nunca recebemos alguma coisa, obras devidamentes registradas, ja tenho um advogado de direitos autorais internacional no rio de janeiro que ira processar os autores de divulgação e venda de produtos sem previa autorização do autor ou da famila, meu telefone é 74 3611 8593 e 8803 1141, as pesquisas de obras de meu pai solvio de toledo, o que o senhor tiver de fonte envie por favor pois, pois necessitamos disso para o processo de recebimentos, grato toledo.

Agradeço por lembrar de meu pai mais o principal objetivo é receber os direitos autorais dele que nunca recebemos, ja tenho um advogadodo rio de janeiro que defende direitos autorais no brasil e no exterior, vamos processar todo mundo poids meu pai morreu pobre por causa de falta de reconhecimento dele, nem a radio que ele trabalhou pagou os fins sociais, esta todo mundo envolvido, radio bandeirantes, sites etc, por isso não autorizo como filho fazer difulgação dele, a não ser com contrato de divulgação pago, grato toledo.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Saudade Sertaneja (Volume 20)

Democrito_Borges

O Mestre das paisagens sertanejas, Demócrito Borges, está disponibilizando um blog para facilitar o acesso a sua vasta obra. O sítio ainda está em construção, mas já da pra ver alguns poucos quadros de sua bela pintura, como no exemplo acima.

Os contatos do Mestre são:

Fones:

81-3491.1382 ou 9900.0378

www.coresdonordeste.blogspot.com

Devido aos email abaixo, enviados pelo Toledo, filho do Sílvio Toledo, retiramos do álbum Saudade Sertaneja Volume 20, a música “Caboclo Soldado da Terra”, da qual o Sílvio Toledo é co-autor. Em seu lugar colocamos a música “Luz do Meu Caminho”, também com o Duo Esterla Dalva.

Lamentamos, pois nosso objetivo é, simplesmente, preservar a memória dos autores/compositores e intérpretes da verdadeira Música Sertaneja. Assim deixaremos também de tocar qualquer música de autoria de Sílvio Toledo, pois, conforme os email de seu filho, ninguém está autorizado a divulgar qualquer obra de seu pai.

“Seja feita a vossa vontade, pois seu pai jamais será lembrado em meus programas sertanejos”.

EMAILS:

Prezado senhor quero que em diga por que motivo o senhor divulgou obra de meu pai, quero que me de as fontes pois ja tenho advogado especializado em direitos autorais, e quero as fontes pois o senhor divulgou o nome de meu pai silvio de toledo com a obra caboclo, coldado da terra, preciso de informações, pois estamos tentendo receber os direitos autorais desde 1949 de meui pai foram muitos lp de poesisa e musicas sertanejas, e nunca recebemos alguma coisa, obras devidamentes registradas, ja tenho um advogado de direitos autorais internacional no rio de janeiro que ira processar os autores de divulgação e venda de produtos sem previa autorização do autor ou da famila, meu telefone é 74 3611 8593 e 8803 1141, as pesquisas de obras de meu pai solvio de toledo, o que o senhor tiver de fonte envie por favor pois, pois necessitamos disso para o processo de recebimentos, grato toledo.

Agradeço por lembrar de meu pai mais o principal objetivo é receber os direitos autorais dele que nunca recebemos, ja tenho um advogadodo rio de janeiro que defende direitos autorais no brasil e no exterior, vamos processar todo mundo poids meu pai morreu pobre por causa de falta de reconhecimento dele, nem a radio que ele trabalhou pagou os fins sociais, esta todo mundo envolvido, radio bandeirantes, sites etc, por isso não autorizo como filho fazer difulgação dele, a não ser com contrato de divulgação pago, grato toledo.

  1. Amor Passageiro (Cachoeirinho - Lourival Machado) Cacheirinho e Corumbá (1960)
  2. Canção do Tropeiro (Pedro Raymundo) Dupla Campeira (1959)
  3. Cantando (Mário Zan e Arlindo Pinto) Duo Irmãs Celeste (1957)
  4. Curva do Caminho (Francisco Lacerda e  Ricarda Jardim) Guaraci e Guaraciaba (1956)
  5. Defendendo o Que é Nosso (Délio e Delinha) Délio e Delinha (1960)
  6. Ditado Sertanejo (Carreirinho e Guimarães de Faria) Zé do Carro e Carreirinho (1963)
  7. Guaíra (Bolinha) Bolinha e Nhô Quinca (1956)
  8. Lembrando o Amor (Osvaldinho) Dupla Gaúcha (1957)
  9. Linda Curitibana (De Moraes e Antenógenes Silva) De Moraes e Ruth (1946)
  10. Luz do Meu Caminho (Alcides Gerardes e Aldo) Duo Estrela Dalva (1960)
  11. Na Calada da Noite (Arlindo Pinto e Anacleto Rosas Jr.) Ingazeiro e Canoeiro (1962)
  12. Na Minha Terra é Assim (Branquinho e Etel) Branquinho e Brioso (1959)
  13. Nossa Bandeira (Ataíde Falsete) Armando e Arlindo (Irmãos Falsete) (1958)
  14. Prá Lá da Serra (Ramoncito Gomes e Jorge AB) Gauchito e Biazinho (1962)
  15. Saudade Vai No Peito (Louriv al dos Santo, Borandi e Jaguarão) Borandi e Jaguarão (1959)
  16. Saudades de Botucatu (Angelino de Oliveira) Cobrinha, Capitão e Ângelo Reale (1942)
  17. Sertanejo Patriota (Flauzinho, Hortêncio e Petronila Souza) Flauzino e Hortênsio (1943)
  18. Taça do Desejo (Antonio Zampieri e Flávio T. Kato) Duo Rancheiro (1961)

DOWNLOAD

A música “Nossa Bandeira”, aparece em alguns sites de dados de gravações em 78 rpm trazendo com autor “Ataíde Fonseca”, mas esta informação está errada, pois trata-se do meu grande e saudoso amigo “Ataíde Falsete”, irmão da dupla “Irmãos Falsete” que gravou em 1958 com o nome de Armando e Arlindo. Os Irmãos Falsete residem em Bauru mas não cantam mais profissionamente.