Fotos recolhidas da net

Play Rádio saudade

Web Rádio "Saudade Sertaneja"
Cidade de Bauru, Estado de São Paulo, Brasil
Transmirindo:
Data: ,
Horário de Brasília

Domingos, das 08h00 às 12h00, "SAUDADE SERTANEJA" com Tião Camargo, em cadeia com a CANAL MAIS FM de Bauru

Seguidores

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Palmeira e Luizinho (Volume 02) e Biografia

palmeira_02

Link para Download no final

Texto: Sandra Cristina Peripato (www.recantocaipira.com.br)

Fonte: www.boamusicaricardinho.com

Diogo Mulero, o Palmeira, nasceu em Agudos-SP em 1918 e faleceu em São Paulo-SP no dia 29/06/1967. O sucesso do "Menino da Porteira" (Teddy Vieira e Luizinho) mostrou-nos o que a cidade de Ouro Fino-MG significa para a música caipira raiz. Nessa cidade mineira, existe também a "Rua Diogo Mulero", que homenageia um dos maiores compositores e cantores brasileiros, que cantou em dupla com Piraci, Luizinho e Biá. Piraci, por outro lado, também é nome de rua em sua cidade natal, Piracicaba-SP: Rua Miguel Lopes Rodrigues.

A dupla, formada por Diogo Mulero, o Palmeira, e Miguel Lopes Rodrigues, o Piraci (abreviação de "Piracicabano") (Piracicaba-SP. 1917 - Caieiras-SP, 1974), teve início em 1941 na Rádio São Paulo, a convite de Oduvaldo Viana e, logo em seguida, no Rio de Janeiro-RJ, gravou seu primeiro disco na RCA-Victor, destacando-se "Carro de Boi" (Capitão Furtado e Orlando Puzone).

No Rio de Janeiro-RJ, a dupla se apresentou, também, na Rádio Nacional e no Cassino Atlântico. Foi nessa época, na cidade maravilhosa, que Piracicabano "abreviou" seu nome artístico para "Piraci". Em 1945, Palmeira e Piraci voltaram pra São Paulo e foram trabalhar na Rádio Difusora no programa "Longe da Cidade". Em São Paulo, atuaram também no legendário programa "Arraial da Curva Torta", produzido e apresentado pelo Capitão Furtado, (Ariowaldo Pires, sobrinho de Cornélio Pires).

Palmeira e Piraci compuseram diversas outras músicas, sozinhos e também com parceiros. Ainda no mesmo ano gravaram um disco 78 RPM juntamente com Tonico e Tinoco que, no Lado A, gravaram "Em Vez de Me Agradecê" (Capitão Furtado - Jayme Martins - Aymoré); e, no Lado B, Palmeira e Piraci gravaram a moda de viola "Salada Internacional" (Palmeira, Piraci e Ariowaldo Pires).

Em 1946, a dupla se separou e Palmeira passou a cantar em dupla com Luizinho (Luiz Raimundo - São Paulo-SP, 1916 - São Paulo-SP, 1983). A dupla foi logo contratada pela Rádio Tupi de São Paulo e, pela Continental, lançou seu primeiro disco com destaque para "Burro Picaço" (Anacleto Rosas Jr. e Geraldo Costa) e "Cavalo Preto" (Anacleto Rosas Júnior).

Em 1950 Palmeira e Luizinho foram contratados pela RCA-Victor, onde gravaram diversos sucessos. No mesmo ano, com a sanfoneira Zezinha, formaram o "Trio Orgulho do Brasil", que logo se desfez.

Palmeira e Luizinho foram considerados os "Criadores da Moda Campeira" e contaram para seu repertório com dois dos principais compositores caipiras da época, Arlindo Pinto e Anacleto Rosas Jr. Também cantavam freqüentemente acompanhados pela acordeonista Zezinha.

Em 1953, Palmeira e Luizinho gravaram o último disco pois, logo depois, a dupla se desfez. Palmeira formou então a dupla com Biá; e Luizinho fez dupla com Limeira (foi inclusive a dupla que, pela primeira vez, gravou o célebre "Menino da Porteira" (Teddy Vieira e Luizinho), em 1955).

Biá (Sebastião Alves da Cunha - o Sabiá - Coromandel-MG, 1927), que até então fazia dupla com Mariano, passou a integrar com Palmeira a dupla "Palmeira e Biá" a partir de 1953.

Em São Paulo-SP, foram contratados pela Rádio Piratininga, para fazer um programa semanal, toda terça-feira às 21 horas. A dupla trabalhou acompanhada pelo sanfoneiro Alberto Calçada (célebre por excelentes interpretações de diversas valsas de Zequinha de Abreu, tais como "Branca", "Aurora", "Tardes em Lindóia", "Último Beijo" e "Rosa Desfolhada".

Em seu primeiro ano de atuação, a dupla Palmeira e Biá gravou 10 discos 78 RPM, numa média de quase um por mês. Gravaram além de composições próprias, outras músicas, de conhecidos e renomados compositores, tais como Teddy Vieira e Nhô Pai.

No ano seguinte, em 1954, a dupla passou a se apresentar juntamente com o célebre acordeonista Mário Zan em excursões por vários estados do Brasil. A dupla manteve o mesmo ritmo de gravações do ano anterior, com lançamentos sucessivos, dentre os quais, a toada "Couro de Boi", (Palmeira e Teddy Vieira), que além de grande sucesso, tornou-se um clássico da música caipira. E, no ano seguinte, em 1955 lançaram mais um grande sucesso, "Disco Voador" (Palmeira). No mesmo ano gravaram a toada "Carmen Miranda" (Palmeira e Capitão Barduíno), que foi uma homenagem à pequena notável que havia falecido naquele ano nos Estados Unidos.

E em 1956, Palmeira e Biá gravaram o bolero "Boneca Cobiçada" (Biá e Bolinha), o maior sucesso da dupla com mais de 500 mil cópias vendidas e que se tornou um clássico da MPB, tendo sido regravado inúmeras vezes, por diversos artistas, como por exemplo, Carlos Galhardo. "Boneca Cobiçada" virou filme com o mesmo nome e tornou-se um marco da música sertaneja, por incluir novas temáticas, além de novos arranjos e nova instrumentação.
Palmeira e Biá ficaram conhecidos como "Os Coronéis da Música Sertaneja".

Não podemos nos esquecer de que Teddy Vieira também foi um parceiro constante de Palmeira e juntos compuseram o já mencionado "Couro de Boi", obra que se tornou um clássico da nossa música caipira raiz, conforme já mencionado acima.

Palmeira assumiu também o cargo de Diretor Artístico do Setor Sertanejo, na RCA-Victor e, em 1958, foi contratado pela Chantecler como Diretor Geral.
Mas, em 1965, Palmeira e Biá se separaram e Biá passou a fazer dupla com seu irmão Sílvio, o Biazinho. (Biá também chegou a cantar em dupla com Dino Franco de 1972 até o início da década de 80).

Palmeira continuou compondo e foi creditado a ele o lançamento do cantor Francisco Petrônio, a quem entregou "Valsa da Saudade" (Palmeira e Zairo Marinoso), que logo faria suspirar os corações brasileiros, além dos célebres sucessos "O Amor Mais Puro" (Palmeira) e também "O Baile da Saudade" (Palmeira e Zairo Marinoso), a célebre valsa que nos leva a um maravilhoso passado de belas danças em compasso ternário e excelentes bandas tocando no coreto da praça!

Algumas composições de Palmeira:

  • Adeus Morena (Palmeira - Piraci)
  • Arroz à Carretera (Palmeira - Mário Zan)
  • Baião da Serra Grande (Palmeira - Fred Williams)
  • Boiadeiro Triste (Palmeira - Mário Zan)
  • Caboclinho Apaixonado (Serrinha- Palmeira - Piraci)
  • Carmen Miranda (Palmeira - Capitão Barduíno)
  • Carta Para o Expedicionário (Capitão Furtado - Palmeira)
  • Céu de Goiás (Palmeira - Biá)
  • Congada de Ouro Fino (Palmeira)
  • Couro de Boi (Palmeira - Teddy Vieira)
  • Curimbatá (Palmeira - Mário Zan)
  • Disco Voador (Palmeira)
  • Ébrio De Amor (Ramoncito Gomes - Palmeira)
  • Festa Na Roça (Mário Zan - Palmeira)
  • Louvação a São Gonçalo (Capitão Furtado - Palmeira - Piraci)
  • Nóis Nna Oropa (Palmeira - Piraci)
  • O Amor Mais Puro (Palmeira)
  • O Baile da Saudade (Palmeira - Zairo Marinoso)
  • O Burro Canário (Palmeira)
  • O Milagre de Tambaú (Teddy Vieira - Palmeira)
  • O Mundo Daqui a Cem Anos (Capitão Furtado - Palmeira - Piraci)
  • O Nariz da Mulher (Capitão Furtado - Palmeira)
  • O Segredo Está no Molho (Arlindo Pinto - Palmeira)
  • Os Homens Não Devem Chorar (Nova Flor) (Mário Zan - Palmeira)
  • Paraguaya Pepita de Oro (Capitão Furtado - Palmeira)
  • Paraná do Norte (Palmeira)
  • Recordações (Mário Zan - Palmeira)
  • Resposta do Couro de Boi (Palmeira - Biá)
  • Salada Internacional (Capitão Furtado - Palmeira - Piraci)
  • São Judas Tadeu (Palmeira - Luizinho)
  • Sina do Beija-Flor (Capitão Furtado - Palmeira - Piraci)
  • Vai de Roda (Teddy Vieira - Palmeira)
  • Valsa da Saudade (Palmeira e Zairo Marinoso)
  • Você Já Viu o Cruzeiro? (Capitão Furtado - Palmeira - Piraci)
  • Volta Comigo Morena (Palmeira - Piraci)

Texto: Sandra Cristina Peripato

Fonte: www.boamusicaricardinho.com

Palmeira e Luizinho (Volume 02)

06/1951 - CONTINENTAL - Nº 16.395
A - Sabugo de Milho (Anacleto Rosas Jr)
B - Ponta Porã (Arlindo Pinto)

09/1951 - CONTINENTAL - Nº 16.437
A - Coisas do Mundo (Arlindo Pinto e Walter Raimundo)
B - Juanico do Sertão (Francisco Ribeiro e Luizinho)

05/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0763
A - Chão de Minas (Palmeira e Luizinho)
B - São Judas Tadeu (Palmeira e Luizinho)

05/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0764
A - Santa Fé do Paraná (Palmeira e Ado Benatti)
B - Peixe Vivo (Arranjo: Palmeira e Mário Zan)

06/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0777
A - Chofer de Estrada (Ado Benatti e Luizinho)
B - Véspra de Natá (Arlindo Pinto e Palmeira)

06/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0779
A - Três Boiadeiros (Anacleto Rosas Jr)
B - Luiz Baião (Palmeira e Luizinho)

07/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0792
A - Boi Torino (Palmeira)
B - Mula Bailarina (Palmeira)

07/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0793
A - Cabeça à Cabeça (Palmeira)
B - Zé Macaia (Palmeira e Raul Tôrres)

08/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0799
A - Porto de Paranaguá (Paiózinho)
B - Maruca do Sertão (Palmeira e Mário Zan)

08/1951 - RCA VÍCTOR - Nº 80.0800
A - Turdio Negro (Anacleto Rosas Jr)
B - Marcaremos Casamento (Anacleto Rosas Jr e Arlindo Pinto)

Informações e foto www.recantocaipira.com.br)

DOWNLOAD

Nenhum comentário:

Postar um comentário