Fotos recolhidas da net

Play Rádio saudade

Web Rádio "Saudade Sertaneja"
Cidade de Bauru, Estado de São Paulo, Brasil
Transmirindo:
Data: ,
Horário de Brasília

PARA OUVIR O PROGRAMA AO VIVO NO YOUTUBE É PRECISO PARAR O PLAY DA RÁDIO, SENÃO MISTURA TUDO

Seguidores

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Délio e Delinha (1978) O Sol e a Lua

o_sol_e_a_lua_1964

Esse Lp foi lançado em CD em 2004 (Foto abaixo)

clip_image002

José Pompeu e Delanira Gonçalves Pompeu são naturais de Vista Alegre, no município de Maracaju-MS.

Primos e também marido e mulher, iniciaram a carreira artística profissional na década de 1950, na mesma época em que haviam se casado. Cantando, de início, em festas e programas de auditório, foram conquistando uma rápida e merecida popularidade, que incentivou o casal a seguir em frente com maiores desafios.

Pouco tempo depois de se unirem pelos laços matrimoniais, Délio e Delinha trocaram o interior do Mato Grosso do Sul (na época, Maracaju-MS ainda pertencia ao estado do Mato Grosso) pela capital paulista, onde atuaram nas Rádios "Bandeirantes" e "Nove de Julho".

Delinha contava apenas 19 anos de idade, na época. A mudança para São Paulo-SP foi incentivada pelo compositor sul matogrossense Zacarias Mourão e, além de atuarem nas duas emissoras de rádio já mencionadas, a dupla assinou contrato com a gravadora Califórnia, na qual foi gravado no dia 26/03/1959 o primeiro disco 78 RPM (TC-1.045), tendo no lado A o rasqueado "Malvada" (Delinha e Délio) e no lado B o rasqueado "Cidades Irmãs" (Délio e Delinha).

No ano seguinte, no dia 29/03/1960, a dupla gravou também na Califórnia o segundo disco 78 RPM (TC-1.119), tendo no lado A o rasqueado "Prenda Querida" (Delinha e Délio) e no lado B a guarânia "Meu Cigarro" (Délio e Delinha).

Délio e Delinha foram ganhando fama a nível nacional e eram conhecidos carinhosamente pelo grande público como o "Casal de Onças do Mato Grosso" (na época, o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul eram ainda o mesmo estado).
A dupla gravou suas músicas em diversos ritmos de raiz, tais como o maxixe matogrossense, a cana verde, o arrasta-pé e, principalmente, o Rasqueado.

A quase totalidade do repertório de Délio e Delinha é de composições próprias, tendo eventualmente parceria com compositores tais como Constantino Gallardi, Joaquim Marcondes e o Comendador Biguá.
Délio e Delinha também participaram da gravação da trilha sonora do primeiro filme estrelado pela inesquecível dupla Tonico e Tinoco: "Lá No Meu Sertão" de Eduardo Llorente, em 1961.

Apesar da dupla ter se realizado artisticamente na capital paulista, a saudade foi muito maior e Délio e Delinha decidiram retornar ao querido estado do Mato Grosso, ainda na década de 1960. Ocorreu também o divórcio após os 25 anos do casamento de Délio e Delinha. A dupla porém chegou a se reunir novamente em 1978, ocasião na qual lançou o disco independente "O Sol e a Lua". E, em 1993, influenciados por antigos admiradores, somados a uma numerosa geração jovem, que veio aos poucos descobrindo seu belíssimo repertório, a dupla reapareceu em algumas apresentações públicas.

O reconhecimento do público e o carinho das pessoas é o que há de mais valor. O final do casamento não foi o final da dupla caipira Délio e Delinha, apesar de alguns anos de interrupção da carreira musical. Ao que consta, a dupla gravou 14 discos 78 RPM mais 19 LP's e mais 4 CD's.

Em dezembro de 2007 foi lançado o CD e o DVD comemorando os 50 anos de carreira da dupla Délio e Delinha no Clube União Beneficente dos Sub-Tenentes e Sargentos das Forças Armadas, em Campo Grande-MS, DVD esse que foi gravado no mesmo local, no dia 02/06/2007, e que contou com a participação de Maciel Corrêa e Zézinho Nantes. O DVD apresenta diversas músicas que marcaram a trajetória da dupla, intercaladas com imagens de arquivo, fotos e depoimentos de amigos, músicos e profissionais de emissoras de rádio que sempre acompanharam a carreira da dupla. Em linguagem agradável e poética, é contada a trajetória de Délio e Delinha e seu repertório, cujas letras retratam amores impossíveis, sentimentos nativos e sofrimentos apaixonados. Composições musicais que permanecem na memória dos que conhecem (mesmo que tardiamente) os sucessos de Délio e Delinha.

Esse trabalho resultou do empenho do repórter cinematográfico José Eduardo Moraes (o Zédu), e também de João Paulo, filho de Délio e Delinha. De início, eles foram em busca de financiamento do FIC (Fundo de Investimentos Culturais) do Governo anterior, no entanto, não conseguiram o recurso.

Resolveram então ir em busca de recursos junto à iniciativa privada em Campo Grande-MS. Os recursos levantados, no entanto, foram muito aquém do que se necessitava, em relação aos custos da gravação, levando-se também em conta a importância da dupla Délio e Delinha para a Cultura Sul-Mato-Grossense.

Mesmo assim, o projeto foi levado adiante e foi gravado o importante DVD, prestando justa homenagem à dupla Délio e Delinha, proporcionando também à nova geração de Apreciadores o contato com o trabalho da dupla que não pode ser jamais esquecida.

Fora o CD e o DVD supra-mencionados, existem pouquíssimos discos de Délio e Delinha disponíveis à venda, além de pouquíssimo de sua obra musical ter sido remasterizada em CD.

Duas "excessões à regra" podem ser destacadas, já que a EMI lançou (apesar de ter sido em pequena quantidade) uma belíssima coletânea, fazendo parte da Série "Raízes Sertanejas", contendo, dentre outros, os sucessos "Malvada" (Delinha e Délio), "Prenda Querida" (Delinha e Délio), "Flor de Mato Grosso" (Délio e Delinha), "Saudade Vai Saudade Vem" (Délio e Delinha), "Goianinha" (Délio e Delinha), "Coração Sertanejo" (Délio e Delinha), "Louvor a São João" (Délio e Delinha), "Foi na Hora da Partida" (Délio e Delinha), "Quero Seus Beijos" (Delinha, Délio e Constantino Gallardi), além do Chotis "De Mato Grosso a São Paulo" (Délio e Delinha).

Outro disco que foi remasterizado em CD, apesar de pequena quantidade e raríssimo, foi o já mencionado "O Sol e a Lua", lançado originalmente em 1978, após a separação conjugal de Délio e Delinha. Observa-se que a faixa-título, que abre o disco, é "auto-biográfica".

Délio morreu, aos 84 anos, em 08 de fevereiro de 2010, em Campo Grande, MS, vítima de câncer de pulmão.

Texto: Sandra Cristina Peripato www.recantocaipira.com.br

Fonte: www.boamusicaricardinho.com

01 - O Sol e a Lua (Délio e Delinha)
02 - Saudade Vai, Saudade Vem (Délio e Delinha)
03 - Passarinho Vigilante (Délio)
04 - Eu Sou Roceiro (Délio)
05 - Contemplando a Natureza  (Délio e Delinha)
06 - Antigo Aposento (Délio e Delinha)
07 - Cantando Para Não Chorar (Délio)
08 - De Mato Grosso a São Paulo (Délio e Delinha)
09 - Não Chore (Délio)
10 - Somos dois Sofrendo Igual (Délio)
11 - Filosofia (Délio)
12 - Josias Pinheiro (Délio)

DOWNLOAD

Nenhum comentário:

Postar um comentário