Fotos recolhidas da net

Play Rádio saudade

Web Rádio "Saudade Sertaneja"
Transmitindo em  
De Bauru, Estado de São Paulo, Brasil
Hoje ,   Horário de Brasília:
Música atual:

Seguidores

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Teixeirinha Especial (Parte 01 de 05)

DOWNLOAD – Vídeo

DOWNLOAD - Áudio

Vítor Mateus Teixeira, mais conhecido como Teixeirinha, (Rolante, RS, 3 de março de 1927 — Porto Alegre, 4 de dezembro de 1985) foi um cantor e compositor brasileiro, também conhecido como o "Rei do Disco", pelos recordes de vendas de discos que consegue até hoje, mesmo já falecido.

Teixeirinha teve uma infância difícil, especialmente por ter perdido aos sete anos o pai, um carreteiro, e aos nove anos a mãe, em um incêndio. Em 1960 tornou-se sucesso nacional com o lançamento de "Coração de Luto", que vendeu milhões de cópias e se tornou um dos singles mais vendidos da história da música mundial. A música falava da trágica morte de sua mãe, no programa do Chacrinha. Em 1961 conheceu em Bagé a cantora Mary Terezinha, que se tornou sua efetiva companheira.

Iniciou a carreira apresentando-se em circos e emissoras de rádio do interior gaúcho. Posteriormente apresentou-se em Porto Alegre, cantando em churrascarias e programas folclóricos.

Em 1959, gravou seu primeiro disco, onde interpretou o arrasta-pé "Briga no batizado" e o xote "Xote soledade", ambos de sua autoria. O disco não alcançou grande repercussão e ainda gravaria, naquele mesmo ano, mais dois discos.

Em 1960, gravou o xote "Gaúcho de Passo Fundo" e a toada-milonga "Coração de luto", ambas de sua autoria. Com "Coração de luto", conheceu seu grande sucesso. A toada, composta quase ao acaso, tornou-se um clássico, com mais de um milhão de cópias vendidas, sendo gravada em 21 idiomas. Por essa época, excursionando pela cidade de Bagé, conheceu a acordeonista Mary Terezinha, que cantava na rádio local. Os dois se casaram e se apresentaram juntos por 22 anos, realizando ainda doze filmes.

Em 1961 gravou de Luiz Menezes a canção "Cantiga da saudade" e a valsa "Nunca mais". No ano seguinte gravou de sua autoria a marcha "Obrigado doutor" e o tango "Migalha de amor". Em 1963 gravou, de sua autoria, o xote "Gaúcho andante" e a milonga "Volte papai".

Em 1964 gravou os arrasta-pés "Motorista brasileiro" e "Sorte tirana", de sua autoria. Em suas composições, manteve vivos ritmos como o vanerão, a vanera, a rancheira, a polca e o xote. Foi um pioneiro no cultivo e popularização das formas musicais gaúchas. Suas composições retratavam a vida em seu dia-a-dia, sem enfeites, numa linguagem cotidiana.

Utilizou o rádio como intrumento fundamental de divulgação de seu trabalho. Comprava nas emissoras os horários mais populares, na madrugada, antes dos trabalhadores saírem de casa, ou então à noite, depois que retornavam. Na Rádio Farroupilha de Porto Alegre comandou os programas "Teixeirinha canta para o povo do Brasil" e "Teixeirinha amanhece cantando".

Foi também produtor de cinema, através de seus "LPs filmados". Produziu 12 filmes. De uma maneira geral, criava a história, gravava numa fita e enviava para o diretor ouvir e elaborar o roteiro viabilizando a idéia. Em seus filmes, não vivia nenhum personagem específico, e sim, ele mesmo, que travestido de herói, dava tiros e rolava pelo chão no estilo dos caubóis norte-americanos. Em 1966, fez seu primeiro filme, "Coração de luto", com direção de Eduardo Llorente. Em 1969, filmou "Motorista sem limite", de Milton Barragan.

Em 1971, foi a vez de "Ela tornou-se freira", de Pereira Dias. Em 1972, filmou "Teixeirinha a sete provas", de Milton Barragan. Em 1974, "Pobre João", de Pedro Dias. Filmou ainda, "Trilha da justiça", "Carmem, a cigana", "Gaúcho de Passo Fundo", "Tropeiro velho" e "Filha de Iemanjá". Este último filme acabou por levar sua produtora cinematográfica, a Teixeira Produções Artísticas, à falência. Deixou uma obra com mais de 60 discos gravados e cerca de 700 composições.

Em 1981, filiou-se ao PDS gaúcho na tentativa de seguir carreira política que não deu certo. Em 1994, a gravadora Continental lançou um LP com uma coletânea de suas composições interpretadas por diversos artistas, como Gaúcho da Fronteira, Os Monarcas, Os Garotos de Ouro, Os Milongueiros, Os Serranos, e outros. Graças a recursos tecnológicos, os intérpretes apareciam cantando em dueto com sua voz.

Em 1995, por ocasião do aniversário de dez anos da morte do artista, foi realizado em Porto Alegre o Painel "Teixeirinha e a Cultura Gaúcha, Mito e Realidade", pela Discoteca Pública Natho Henn e Casa de Cultura Mário Quintana, com debates e exibição de seus filmes. Ao longo de sua carreira, recebeu 13 Discos de Ouro e um Galo de Ouro, este em Portugal. Excursionou pelo Brasil, América do Sul, América do Norte e Europa. Foi apelidado de "Gaúcho Coração do Rio Grande".

DISCOGRAFIA (LPs)

  1. 1960 - O Gaúcho Coração do Rio Grande
  2. 1961 - Assim é nos pampas
  3. 1961 - Um gaúcho canta para o Brasil
  4. 1962 - Saudades de Passo Fundo
  5. 1962 - Teixeirinha, volume 4
  6. 1963 - Teixeirinha Show
  7. 1963 - Teixeirinha interpreta
  8. 1963 - Êta gaúcho bom
  9. 1964 - Gaúcho autêntico
  10. 1964 - Canarinho cantador
  11. 1965 - O rei do disco
  12. 1965 - Bate-bate coração
  13. 1966 - Disco de ouro
  14. 1966 - Teixeirinha no cinema
  15. 1967 - Coração de Luto - trilha sonora do filme
  16. 1967 - Mocinho aventureiro
  17. 1967 - Dorme Angelita
  18. 1968 - Doce coração de mãe
  19. 1968 - Última tropeada
  20. 1969 - O rei
  21. 1969 - Volume de prata
  22. 1970 - Carícias de amor
  23. 1971 - Fora de série
  24. 1971 - Entre a cruz e o amor
  25. 1971 - Chimarrão da hospitalidade
  26. 1972 - Ela tornou-se freira - trilha sonora do filme
  27. 1972 - Minha homenagem
  28. 1973 - O internacional
  29. 1973 - Sempre Teixeirinha
  30. 1974 - Última gineteada / Menina que passa
  31. 1975 - Pobre João - trilha sonora do filme
  32. 1975 - Aliança de ouro
  33. 1975 - Lindo Rancho
  34. 1977 - Norte a Sul
  35. 1977 - Canta meu povo / Fronteira gaúcha
  36. 1978 - Amor de verdade / Inseparável violão
  37. 1978 - Menina da gaita / O Centro-Oeste brasileiro
  38. 1979 - 20 anos de glória
  39. 1980 - Menina Margareth / Vida e morte
  40. 1981 - Iemanjá - trilha sonora do filme
  41. 1982 - Que droga de vida / Infância frustrada
  42. 1982 - Dez desafios inéditos - Teixeirinha e Mary Terezinha
  43. 1983 - Chegando de longe / Apenas uma flor
  44. 1984 - Guerra dos desafios - Teixeirinha e Nalva Aguiar
  45. 1984 - Quem é você agora / Amor desfeito
  46. 1985 - Amor aos passarinhos
  47. 1993 - Os Grandes Sucessos de Teixeirinha(Póstumo)
  48. 1994 - Teixeirinha Canta com Amigos (Póstumo)
  49. 1967 - Coração de Luto
  50. 1969 - Motorista sem limites
  51. 1972 - Ela Tornou-se Freira
  52. 1973 - Teixeirinha 7 Provas
  53. 1974 - O Pobre João
  54. 1976 - Na Trilha da Justiça
  55. 1976 - Carmen a Cigana
  56. 1976 - A Quadrilha do Perna Dura
  57. 1978 - Meu Pobre Coração de Luto
  58. 1978 - Gaúcho de Passo Fundo
  59. 1979 - Tropeiro Velho
  60. 1981 - A Filha de Iemanjá
  61. 1982 - Que droga de vida / Infância frustrada
  62. 1982 - Dez desafios inéditos - Teixeirinha e Mary Terezinha
  63. 1983 - Chegando de longe / Apenas uma flor
  64. 1984 - Guerra dos desafios - Teixeirinha e Nalva Aguiar
  65. 1984 - Quem é você agora / Amor desfeito
  66. 1985 - Amor aos passarinhos

FILMOGRAFIA

  1. 1967 - Coração de Luto
  2. 1969 - Motorista sem limites
  3. 1972 - Ela Tornou-se Freira
  4. 1973 - Teixeirinha 7 Provas
  5. 1974 - O Pobre João
  6. 1976 - Na Trilha da Justiça
  7. 1976 - Carmen a Cigana
  8. 1976 - A Quadrilha do Perna Dura
  9. 1978 - Meu Pobre Coração de Luto
  10. 1978 - Gaúcho de Passo Fundo
  11. 1979 - Tropeiro Velho
  12. 1981 - A Filha de Iemanjá

O site oficial de Teixeirinha simplesmente ignora aquilo que o Brasil inteiro sabe: o romance de 22 anos com a Mary Terezinha, refere-se a ela apenas como uma acordeonista que o acompanhou durante todo esse tempo. No especial que começou ser produzido pela RBSTV – que não chegou ser concluído devido a morte dele – tanto o Teixeirinha, como a Mary Terezinha falam de como tudo começou e acabou. Num trecho ele simplesmente esculacha com Mary, dizendo que a mesma não passou de uma simples sanfoneira dele. Noutro, após ter se separado de Mary, ele aparece ao lado de dona Zoraide Teixeira, sua verdadeira esposa, falando da importância da família, dos fãs, etc., e simplesmente não toca no nome da ex-companheira.

Teixeirinha teve nove filhos: Sirley Marisa; Líria Luisa; Victor Filho; Margareth; Elizabeth; Fátima Lisete; Márcia Bernadeth; Alexandre e Liane Ledurina. Alexandre e Liane Ledurina são filhos dele com a Mary Terezinha. Num trecho do especial da RBSTV, eles aparecem falando da separação dos pais. Confiram...

Sempre fui fã do Teixerinha, portanto não tenho nenhum motivo para denegrir sua imagem, pelo contrário, com esse trabalho quero ajudar manter viva sua história, suas músicas e seus filmes, divulgando seu site oficial e a Fundação Teixerinha mantidos por sua família.

http://www.teixeirinha.com.br

Tião Camargo – Bauru/SP

4 comentários:

  1. Parabens por esse trabalho saudavel e otimo trabalho. Baixei esse video do Teixeirinha, tres vezes em dias diferentes e quando abro o arquivo aparece uma informacao avisando que tem falha no CRC e que o arquivo esta corrompido. Estou ansioso para ter todas as partes desse video e do audio tambem. Ouco o Teixeirinha desde crianca, final dos anos sessenta. Obrigado. Waldomiro - Curitiba -Pr

    ResponderExcluir
  2. muito bom seu trabalho. ñ esqueço teixeirinha e gostaria muito de saber de anadelia a cantora q. o acompanhou na musica ave maria dos noivos. meu endereço: vanibalestero@hotmail.com.se puder me ajude a ter noticias dela obrigada

    ResponderExcluir
  3. eu tenho esse especial de teixeirinha e nao o vejo esculaxando a mary nao,e quem quiser o especial da rbs no youtube tem valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O svideos postados aqui são do Youtube. O Teixeirinha não reconhece a Mary como aquela que foi sua mulher e com ela teve dois. Isso não é esculacho?

      Excluir